Marketing

O Marketing de Guerrilha

Deivid Vieira
Escrito por Deivid Vieira

Você já ouviu falar em marketing de guerra também conhecido como Marketing de guerrilha? Se a sua resposta for não, saiba que hoje você não sairá deste blog sem saber o que é esse tal de “marketing de guerrilha”.

Ele surgiu na década de 70, já que naquela época as campanhas publicitárias “comuns” não estavam mais alcançando êxito, entretanto o marketing de guerrilha teve seu ápice somente nos anos 80, depois que o escritor Jay Conrad Levinson escreveu um livro sobre o assunto a fim de ensinar a técnica de gastar menos em uma campanha publicitária, continuar sendo criativo, inovador e ter resultados satisfatórios. Desde então o Marketing de Guerrilha tem ganhado espaço e força nas estratégias de propaganda.

Somos bombardeados de informações todos os dias, por todas as direções, e nem sempre estamos “afins” de recebê-las. Elas estão em paradas de ônibus, plotadas em carros, na TV, no Rádio e nos Smartphones que não saem de nossas mãos, porém muitas vezes nem percebemos que estamos de certa forma sofrendo influência de alguma delas. Essa é uma das características do marketing de guerrilha, os chamados de “guerrilheiros do marketing” são incansáveis e buscam sempre criar estratégias para atrair o consumidor.

Geralmente elas são criadas nas ruas, com um custo consideravelmente baixo e com muito poder de impacto. Seu grande diferencial é que realmente ela não se parece com uma propaganda convencional, porém interage diretamente com seu consumidor final e intriga de certa forma seu público alvo.

A guerrilha tem como princípio básico a abordagem de novas opções de comunicação, tendo como premissa a frase “Não compre mídia, crie uma”. Essa alternativa foi de grande importância já que a demanda de propaganda em jornais, revistas e televisão eram muito grandes.

Segue abaixo 3 grandes exemplos de Marketing de Guerrilha:

01# : La memoria es frágil – Post-It

01

A marca Post-It em parceria com a Agência peruana El Garaje Lowe, criaram a campanha “La memoria es frágil” a fim de atingir um novo público, os estudantes, já que até então os seus fieis consumidores são empresas e escritórios. Na porta de uma das principais universidades do Peru, a marca instalou um letreiro feito de gelo, com a seguinte frase esculpida: “Devolver o livro de inglês”.

Com o decorrer do dia, o gelo foi derretendo, desmanchando a mensagem e reforçando a ideia de que assim como o gelo, a memória era frágil e não se podia confiar muito nela.

02# : Shadow Wifi – Liga Contra el Cancer

02

Um sinal de Wi-Fi que só funciona na sombra para alertar sobre câncer de pele foi criado pela agência Happiness Brussels para a Liga Contra el Cancer, do Peru. Trata-se da “Shadow Wifi” que nada mais é do que enormes estruturas retangulares instaladas na praia e que disponibilizavam sinal Wi-fi grátis para os banhistas e frequentadores.

Só que com um pequeno e importante detalhe: o sinal só ‘pegava’ na área sombreada. Para isso foi usado um sensor acoplado a um roteador que seguia o movimento do sol, calculando onde a sombra iria aparecer.

03# : Vending Machine – Nescafé

03

Com o intuito de conectar e melhorar um pouco o dia das pessoas, a Nescafé fez uma ação bem bacana na cidade de Frankfurt na Alemanha.

Os botões para pedestres nos semáforos foram modificados e transformados em uma mini vending machine da marca.

Na ação, criada pela OgilvyOne de Frankfurt, quando as pessoas apertavam juntas o botão para atravessar, eram surpreendidas com uma bela xícara café bem quentinho.

Sobre o autor

Deivid Vieira

Deivid Vieira

Deivid é Estudante de Publicidade e Marketing, criador do blog AGORAPUBLICIDADE, analista de mídias digitais, apaixonado pelo universo publicitário assim como o da arte. Está em um relacionamento sério com a criatividade. Adora tocar violão porém mal conhece 2 acordes. Siga seu Instagram: @deividvieiraa

Assine a nossa Newletter

Junte-se aos nossos leitores inteligentes e receba conteúdo semanal. E o melhor é Grátis!

Confirme a sua inscrição no seu e-mail. Obrigado!