Marketing

Tendências de Marketing Interno para chefes que só pensam em ‘dimdim’

Marcelle de Oliveira

“Em tempos em que a palavra da moda é ‘crise’, recomendo que você ‘crie’…”

Sou do tipo de ‘marketeira’ que não acredita que a função seja bem exercida estando apenas atrás da tela o meu notebook. Por vez ou outra, eu preciso estar na rua e ver com meus próprios olhos como está a indústria, como está meu segmento de mercado e, claro como estão meus clientes.

Quando eu tenho a oportunidade numa dessas visitas, em conversar com

um empresário, seja ele, micro ou grande, a desculpa para inserir qualquer produto, para incrementar uma ação nova, é quase que 100% das vezes a mesma: ‘a crise atrapalhou’, ‘com a crise não tem como fazer nada’.

E está complicado mesmo, eu sei disso. Mas, a gente está falando de business e, se der mole, o mercado te engole sem pena. A verdade é essa.

Eu tenho visto muito empresário fazendo bizarrices a perder de vista, assumindo dívidas absurdas, porque, ainda tem gente que acha que fazer uma inserção num intervalo de novela das 21 horas resolverá todos os problemas e vai intensificar as vendas.

Vamos ser sinceros: o seu consumidor está zerado! O perfil do consumidor está se modificando esse ano, ainda não consigo enxergar se isso será uma mudança que se tornará uma nova tendência, mas, eu vejo que o consumo diminuiu. Não estou dizendo que o público esteja mais consciente, mas, o fato é que ele realmente está sem crédito para comprar.

Você pode pensar que eu estou viajando na maionese, mas, eu estou falando pelas experiências que eu estou tendo já faz um tempo. Semana passada, estava conversando com uma amiga e perguntei como estava o trabalho dela e, ouvi o seguinte relato: “iiiih, o dono está devendo uns R$ 100 mil para tal empresa. E sabe que não tem como pagar”, ok?!

Resumidamente, esse empresário não é grande, ele atua no mercado de cosméticos e investiu num produto que era uma grande promessa, que apareceu um monte de vezes no horário nobre, mas, não emplacou, apesar de ter um apelo muito bom.

Eu chamo isso de cilada! Olha, feliz é o empresário que está conseguindo encontrar soluções para esse momento de crise em ações pequenas.

Eu sou super a favor de Marketing Interno e, eu não estou falando de sortear uma moto no final do ano entre os funcionários da empresa. Eu quero me referir a criar um ambiente agradável para esses funcionários, dar boas condições de trabalho.

Vamos pensar na seguinte situação: “Você é o dono de um posto de gasolina numa área bem localizada da cidade. Mas, quem compra seu serviço não tem contato diretamente com você. Então, não adianta você investir num paisagismo bacana, em uma loja de conveniência que tenha mil coisas, porque quem vende seu serviço é o frentista. E se esse profissional não está fazendo um bom atendimento, não está sendo cordial com o cliente, esse cliente não vai voltar e mais, ele não vai recomendar seu posto para outras pessoas. E a propaganda boca a boca tem um poder absurdo: para te beneficiar ou prejudicar”.

Então, motivar sua equipe é fundamental para ela tenha prazer em vender o seu produto, em vender sua marca no mercado. Existem programas de benefícios que vão deixar seu funcionário mais satisfeito em fazer parte da sua empresa. Eu pelo menos, quero poder mostrar meu trabalho e ser reconhecida por isso, por que não?

Motivar a equipe é indispensável para obter resultados

Motivar a equipe é indispensável para obter resultados

Abaixo, eu assinalei algumas sugestões para a gente dar início (mesmo estando no final desse post) nesse bate-papo que é bem amplo sobre o Marketing Interno:

Comunique-se com a sua empresa: os colaboradores têm que saber o que está acontecendo no ambiente de trabalho. Uma sugestão é investir em um canal de comunicação interna, seja através de e-mail com boletins, uma rede intranet, mural com informações (apesar de eu achar muito retrô, ainda é uma solução). Em empresas com potencial para investir num canal mais elaborado, já existem redes sociais corporativas que podem atender bem esse nicho.

Datas comemorativas: lembrar de dar uma rosa no dia das mães para todas as mães que trabalham na empresa é algo simples, mas que pode ter um efeito enorme. Se você é um micro empreendedor e não pode fazer tal ação, mande ao menos um e-mail, faça um sorteio de um perfume, mas não deixe passar em branco.

Promover um dia diferente no aniversário da empresa, criar happy hours e, principalmente, comemorar metas atingidas também são ações incríveis e, você não precisa fazer tudo isso, mas, faça algo. De repente, sua empresa não pode fazer uma festa em um clube com piscina, mas, mesmo que seja um escritório pequeno, compre uns petiscos, um bolo, faça aquele velho discurso e, parabenize o trabalho dos seus funcionários, aumente o ego deles. Pessoas não são robôs e, ninguém aguenta muito tempo o regime de escravidão dentro do trabalho.

Benefícios extras: tem muito empregador que acha que o funcionário deve ficar satisfeito de ganhar a remuneração (diga-se de passagem, cheia de descontos), auxílio transporte e refeição. Mas, se você quer manter essa galera na função, vamos repensar a possibilidade de dar um benefício extra, seja um plano de saúde, odontológico, ou até um crédito mensal para comprar livros. Te garanto que é bem provável que investir no bem-estar do seu quadro de funcionários será mais barato do que colocar aquela inserção no intervalo da novela, como eu havia falado anteriormente.

“Ah Marcelle, mas estamos em crise…”, então, vamos incentivar o pessoal a trabalhar com satisfação. Eu não falo para você investir seu patrimônio para bancar um rodízio de carnes mensal para seus colaboradores, eu digo para ser sensato e lembrar da história do posto de gasolina, sabe?! Quem vende a sua marca não é só você. É quem trabalha para você que representa o que a sua marca é dentro do mercado.

>> Esse é meu primeiro texto aqui no Marketing com Café.
Aos poucos eu vou me ajustando à proposta do site. Se tiver alguma sugestão, comenta aqui no post. Quero muito debater sobre esses fatos que eu vejo e convivo diariamente. 

Um abraço. Até a próxima.

Sobre o autor

Marcelle de Oliveira

Marcelle de Oliveira

Marcelle de Oliveira. 24 anos, carioca.
Analista de Marketing e Produtora de Conteúdo. Tecnólogo em Web Design pela Rede MV1. Jornalista. Graduada em Publicidade e Propaganda pela UCB. >> Sigam-me os bons: @marcelle.deoliveira

  • Carlos Aquila

    Texto excelente Marcelle. Meus parabéns!

Assine a nossa Newletter

Junte-se aos nossos leitores inteligentes e receba conteúdo semanal. E o melhor é Grátis!

Confirme a sua inscrição no seu e-mail. Obrigado!