Marketing

Tipos de persona que circulam pelas redes sociais

Tipos de persona que circulam nas redes sociais
Escrito por Laryssa Caetano

Existem oito tipos de clientes que se dividem em quatro grupos de um quadrante. Entre aqueles com maior poder de consumo e com características racionais e analíticas estão os vencedores e os exploradores. Para os vendedores a sensação de segurança, sucesso e poder são aspectos que eles buscam nas suas lovemarks. Por outro lado, os exploradores se identificam com empresas que lhe promovam aventura, como a Nikon.

Também com alto poder de consumo e com personalidade mais emotiva, estão os seguidores e os ostentadores. Para este grupo, a linguagem da marca deve promover tendências, exibicionismo e um forte desejo de ascensão social.

Na parte inferior do quadrante temos o grupo com menor poder de consumo e igualmente racionais – transformadores e batalhadores, preocupados com a família, com descontos e com a sustentabilidade no planeta. Para esses dois grupos, as empresas do coração transmitem valores que ajudam a cuidar do meio ambiente enquanto se preocupam com a valorização da cultura.

Com menor poder de consumo e forte caráter emotivo estão, lado a lado, os conservadores e os despretensiosos. Pela conveniência, esses consumidores compram as marcas que conhecem. São marcas que estão na família há gerações e que eles continuam comprando a promessa feita pela lovemark.

Conhecendo o perfil do público que atende, a marca consegue se relacionar usando a linguagem que mais chama a atenção. Por exemplo, a fanpage do McDonalds permitiu, temporariamente, que os Minions invadissem a página e interagissem com os usuários, ação que repercutiu positivamente para marketing digital da marca. Mas como prever a aceitação do público? O que diferencia um sucesso viral de um total fiasco (convertido em memes) nas redes sociais?

Basicamente, a análise correta do público. Ao analisar o perfil do cliente durante o planejamento de marketing digital – com os devidos filtros é fácil gerar uma campanha segmentada no Facebook e conhecer quem compõe o público de cada marca – a empresa tem condições de definir o melhor tom de voz para interagir.

Entre os atributos da marca, o tom de voz, a faixa etária, o vocabulário aceitável pela persona deverão ter uma unidade através dos canais que se propuser a falar.  É por isso que a ação do McDonald’s é tão genial, pois brincou com as características dos Minions que assumiram o controle de uma página oficial.

Bom humor em uma ação inusitada conquistaram o público, mas não é preciso divertir o público para ele interaja. Exemplo clássico é a GoPro que, basicamente, investe muito pouco em marketing convencional, mas adotou um tom de voz que conversa com o seu público. Afinal, quem produz os vídeos são clientes que disseminam a ideia da empresa no Youtube.

Adotar uma persona e entender o perfil do público da marca é fundamental para se relacionar e entender os pontos de dor, as necessidades e as inspirações de cada segmento. Até a próxima!

Sobre o autor

Laryssa Caetano

Assine a nossa Newletter

Junte-se aos nossos leitores inteligentes e receba conteúdo semanal. E o melhor é Grátis!

Confirme a sua inscrição no seu e-mail. Obrigado!