Marketing

Neuromarketing: A sua Marca na Memória dos Clientes

Mateus Barboza
Escrito por Mateus Barboza

Com o crescimento do mercado o consumidor passou a ser mais exigente. Isso obrigou as marcas a investirem em uma análise aprofundada para conhecer o comportamento dos clientes. Graças a estudos recentes que procuram entender o consumidor, as marcas podem contar com novas ferramentas e técnicas de marketing. Elas permitem compreender melhor as ações dos clientes e o que os leva a escolher uma marca em detrimento de outra.

Uma dessas novas áreas é o neuromarketing, que utiliza a ciência para entender a essência do comportamento do público. Existem motivações específicas que levam o consumidor a tomar decisões de compra e gastar, e o objetivo do neuromarketing é descobrir como elas funcionam. Compreendendo a reação do cérebro a determinados estímulos será possível adequar a abordagem e o material de comunicação e mídia ao cliente. Isso causará mais impacto e conversão para a empresa.

Campos de atuação

O neuromarketing, até o momento, é aplicado em seis campos distintos de uma empresa. Conheça como ele pode lhe ajudar em cada um deles:

1 – Branding

É essencial que o consumidor tenha a marca em sua mente quando precisar de produtos ou serviços que ela oferece. As técnicas de neuromarketing permitem que o cliente associe a marca a sentimentos bons que tem em relação ao produto. Dessa forma, a empresa terá uma posição significativa no mercado e os clientes serão mais fieis à marca.

2 – Design e inovação

É importante que as empresas saibam o que o consumidor pensa das ideias de comunicação, do design dos produtos e embalagens etc. Isso melhora o planejamento futuro. As reações dos clientes a esses fatores são emocionais e inconscientes, mas o neuromarketing fornece técnicas para medir essas reações.

3 – Publicidade

Uma campanha bem feita deve comunicar diretamente ao inconsciente do público. Quando não consegue chegar até esse nível da mente, não causará nenhum impacto significativo nas conversões. O neuromarketing consegue demonstrar quais campanhas funcionam e quais não, e por quê.

4 – Entretenimento

Cada vez mais o entretenimento é importante para a criação de um vínculo entre consumidor e marca. O bom uso do entretenimento faz com que trabalhemos com o imaginário, e isso influenciará diretamente nas atitudes, preferências e ações na hora de consumir. E como fazer bom uso? O neuromarketing responde.

5 – Web

É essencial entender o comportamento do usuário web porque a internet muda rapidamente, e, com ela, as tendências de mercado. Além disso, o mercado é muito expansivo nesse meio de comunicação. O neuromarketing oferece possibilidades de ter um “chão firme” para pisar.

6 – Tomada de decisão

O consumidor é influenciado por fatores externos na sua tomada de decisão, como o próprio ambiente em que se encontra. O neuromarketing mostra como isso acontece e como podemos lucrar com esse fato.

Divisões do neuromarketing

Existem três áreas que dividem o neuromarketing, e todas precisam ser levadas em consideração pelas empresas. A primeira é a pesquisa científica, feita normalmente em universidades e grandes centros acadêmicos. Ela é realizada por neurocientistas que utilizam aparelhos de alta tecnologia para compreender o consumidor.

A segunda área é responsável pelos serviços de neuromarketing, nos quais se inclui pesquisa de mercado, desenvolvimento de produtos e análise de mídia. A terceira área envolve a aplicação do neuromarketing, feita por profissionais qualificados e estudiosos. Aqui se incluem consultorias, livros e palestras.

Sobre o autor

Mateus Barboza

Mateus Barboza

Administrador, designer, social media, fundador do Marketing com Café, podcaster e fotógrafo por hobby.

Assine a nossa Newletter

Junte-se aos nossos leitores inteligentes e receba conteúdo semanal. E o melhor é Grátis!

Confirme a sua inscrição no seu e-mail. Obrigado!