Marketing Pessoal Social Media

Especialista da FGV destaca a importância da autoimagem no ambiente digital

Mateus Barboza
Escrito por Mateus Barboza

Viviane Narducci explica como as redes sociais podem impactar a imagem do profissional no mercado de trabalho

É impossível negar a presença e importância das redes sociais no cenário atual. Atualmente, no Brasil, 97,7 milhões de pessoas navegam pela internet e em cada 5 minutos, 1 deles é gasto no Facebook ou Instagram, ou seja, em média três horas diárias, de acordo com a ComScore. Entretanto, reconhece-se também, que os conteúdos nem sempre são bem gerenciados e, consequentemente, bem avaliados quando se trata da imagem do profissional no âmbito corporativo.

O grande questionamento é: Como utilizar as redes sociais de forma adequada e que, inclusive, funcione como um bom ‘cartão de visita’? A professora da FGV e especialista em gestão estratégica de pessoas, Viviane Narducci, explica que há inúmeras formas de utilizá-las de maneira funcional e com o direcionamento adequado.

“As redes sociais ajudam muito profissionalmente, quando você sabe exatamente o que quer delas. É possível utilizar as mídias digitais para obter ou apresentar informações; para fazer pesquisas na área de atuação do profissional ou para obter informações de uma área na qual se deseja atuar. As redes sociais ajudam a diluir as fronteiras físicas. Com o uso adequado e direcionado das mídias sociais, pode-se aumentar a rede de relacionamentos no mercado de interesse – o chamado networking.   Mas tudo deve ser feito com muito foco no que se deseja em termos de resultados” explica a professora.

Num processo seletivo, segundo Viviane Narducci, não adianta inventar informações ou querer valorizar a imagem de forma inverídica. Os recrutadores pesquisam os perfis dos candidatos e, portanto, é necessário existir coerência entre o que é apresentado como verdade e o que é a verdade em si.

“Hoje já não é possível dissociar sua imagem pessoal da profissional. Tudo o que você torna público nas redes sociais fará parte da construção de sua imagem e, portanto, poderá gerar impactos positivos ou negativos. É preciso coerência e certa dose de naturalidade entre o pessoal e o profissional. Cada vez mais será necessário gerir a autoimagem no ambiente digital”, explica Viviane Narducci.

Outro ponto importante é o que o colaborador diz sobre a empresa na qual atua. “Hoje todos os assuntos são discutidos nas redes sociais, inclusive o que acontece nas empresas e, assim como na vida off-line, no ambiente online o profissional deve manter a ética e a discrição ao expor publicamente o que acontece em seu local de trabalho. É necessário um cuidado nesse sentido”, conclui a professora da FGV.

Sobre o autor

Mateus Barboza

Mateus Barboza

Administrador, designer, social media, fundador do Marketing com Café, podcaster e fotógrafo por hobby.

Assine a nossa Newletter

Junte-se aos nossos leitores inteligentes e receba conteúdo semanal. E o melhor é Grátis!

Confirme a sua inscrição no seu e-mail. Obrigado!