Design Patrocinado

Design como atrativo visual

Mateus Barboza
Escrito por Mateus Barboza

O consumidor atual é caracterizado de forma distinta pelo excesso de seu espaço de informações altamente intenso, não apenas com os dados em si, mas com as impressões causadas pela grande diversidade de apresentação externa. Não sendo um especialista em design, o potencial comprador, em todo caso, fica atento às tendências. Portanto, para tomar a decisão de comprar o produto, é necessário que o produto não seja apenas funcionalmente sensacional, mas que seja visualmente atrativo.

Em consequência da crise econômica, a capacidade de pagamento dos consumidores diminuiu. No entanto, os preços para os itens de design de luxo ainda, diversas vezes, excedem os preços dos itens regulares. Além disso, o problema ainda continua quando se trata de soluções de design bem sucedidas de cópias reproduzidas pelos fabricantes chineses e indianos. Frequentemente eles sacrificam a qualidade do produto tornando-o significativamente mais acessível, em termos financeiros, para o consumidor. Esses fatores especificam as duas principais tendências do design industrial contemporâneo. A primeira que implica a criação de itens totalmente extraordinários que justifiquem seus preços. A segunda está no fato de que não houve nenhuma inovação de produto realmente brilhante apresentada nas principais coleções de designers do mundo nos últimos anos.

Para observar o caminho de uma solução de design funcional brilhante no mundo contemporâneo, podemos voltar para 2004, quando surgiu o aspirador de pó Electrolux Ergorapido sem saco. Em mais de 10 anos de sua existência, este objeto de design industrial já ganhou diversos prêmios de alto prestígio, incluindo reconhecimento Plus X e Red Dot. Após o Electrolux Ergorapido ter sido lançado, uma série de empresas lucraram com esta ideia, o aspirador minimalista com um botão de controle de retenção não é apenas fácil de usar, mas personifica o sonho de uma dona de casa moderna.

Como resultado, muitos fabricantes de eletrodomésticos produziram modelos de aspirador de pó a bateria para qualquer gosto e orçamento, mas não havia nenhuma distinção funcional principal em suas soluções. Isso é um exemplo de uma cópia de solução de engenharia bem sucedida sem modificações funcionais quando os fabricantes estão competindo em nível de marketing de produto.

Cigars, close up shallow dof - Depostitphotos.com

Cigars, close up shallow dof – Depostitphotos.com

Por sua vez, o design industrial contribui com a competição entre os fabricantes que atingiram determinada excelência tecnológica, quando o próprio design serve como um instrumento de marketing. Mesmo que o consumidor não tenha dinheiro suficiente para comprar o item mais desejado, ele com toda certeza comprará algum item mais barato que o atraia. Por exemplo, nem todo mundo pode comprar uma Caneta Parker por USD300. No entanto, quase ninguém pode comprar uma Caneta Inkless Metal Beta (metálica sem tinta) produzida pela empresa Vat19 por USD30. Ao escrever com a caneta, pedaços muito pequenos de metal caem no papel. A linha prateada que a caneta traça parece com o traço de um lápis, mas, na verdade, o metal penetra profundamente no papel e não pode ser apagado como é o caso do lápis. O design torna uma caneta de USD30 concorrente dos clássicos da Parker.

Luxury Goods Shopping. Luxury Purse Products For Woman. Store Front Closeup. - Depostitphotos.com

Luxury Goods Shopping. Luxury Purse Products For Woman. Store Front Closeup. – Depostitphotos.com

Nos últimos anos, os designers da nova geração parecem estar conduzindo um negócio de produção em pequena escala. Eles estão utilizando blogs e redes sociais para promover seus produtos. Já que o mercado falante da língua russa não possui gosto determinado atualmente, isso oferece possibilidades quase ilimitadas para experimentos no design industrial. Aqui o consumidor está pronto para experimentos e mais disposto a responder à oferta do que em criar a demanda.

A Depositphotos monitora o histórico de download das imagens relacionadas ao design industrial. Não fazemos ideia de quando a estética, finalmente, salvará o mundo, mas com base nas diversas pesquisas por itens de design requintado através do banco de imagens, a estética já salvou os designers, juntamente com os vendedores.

Sobre o autor

Mateus Barboza

Mateus Barboza

Administrador, designer, social media, fundador do Marketing com Café, podcaster e fotógrafo por hobby.

Assine a nossa Newletter

Junte-se aos nossos leitores inteligentes e receba conteúdo semanal. E o melhor é Grátis!

Confirme a sua inscrição no seu e-mail. Obrigado!