Marketing Pessoal

Como fazer marketing pessoal além do cartão de visita

Escrito por Laryssa Caetano
Profissionais liberais e internet caminham juntos, em eventos troca-se contatos no Linkedin e via WhatsApp. Apresentar uma boa imagem, simpatia e conhecer gente interessante sem ser interesseiro fazem parte do sucesso, mas surge a pergunta: ainda se faz marketing pessoal com cartão de visita?
Sim, sim e sim. Uma coisa não anula a outra. E o cartão precisa ser incrível, bem feito, profissional. Já vi modelos com QR Code que direcionavam para o portifólio do contato. Outros eram comestíveis e, outros podiam ser plantados no solo, pois continham sementes.
Panfletos e folheto, por serem materiais gráficos promocionais, só devem ser usados para divulgar um evento, como workshop ou palestra. Não distribua currículos aleatoriamente, deixe para uma entrevista formal. Em eventos ou no “bar”, vale apenas o bom e velho bate-papo, entendendo o trabalho do outro, sem forçar a barra, sem ficar se autopromovendo. Nada de pedir favores, mostre-se útil.
Outro ponto bacana para o marketing pessoal é saber seus resultados alcançados na empresa e no setor. Casos de sucesso de clientes e de projetos dos quais foi e é peça-chave valem a pena serem salvos para o portifólio. Se não consegue mensurar o que fez até o momento, comece daqui em diante.
Use as redes sociais a seu favor, mantenha sua rede de contatos atualizada sobre as mudanças na sua carreira. No ambiente corporativo, seja o cara antenado e que transmite confiança aos chefes e aos companheiros de trabalho, que estuda e participa de eventos por conta, que entrega além do que é pedido, que está interessado em apresentar os melhores resultados e não em apenas cumprir o checklist do seu job description.
Resumindo, seja o cara. E tenha um cartão de visita que diga o mesmo. 😉

Sobre o autor

Laryssa Caetano

Assine a nossa Newletter

Junte-se aos nossos leitores inteligentes e receba conteúdo semanal. E o melhor é Grátis!

Confirme a sua inscrição no seu e-mail. Obrigado!